O bolsonarista que se pendurou no para-brisa de um caminhão em Caruaru (PE) e o motorista do veículo cometeram diversas infrações de trânsito. A avaliação é de especialistas que analisaram a cena registrada em vídeo e compartilhada em redes sociais nos últimos dias. Para eles, o caminhoneiro poderia também sofrer pena de prisão prevista no Código Penal, por tentativa de homicídio, por exemplo.

Caminhão anda quilômetros com bolsonarista que se negou a sair pendurado no para-brisa; VÍDEO

O caminhão rodou quilômetros depois que o motorista decidiu "furar" um dos bloqueios feitos pelos bolsonaristas na BR-232, no km 130, e levou junto um homem, na dianteira do veículo. Um advogado e um especialista em direito do trânsito afirmaram que os dois envolvidos no caso poderiam ter sido penalizados de formas diferentes, por desrespeito a leis de trânsito e penais.

Com relação ao caminhoneiro, o especialista em trânsito Alex Monteiro explicou que ele poderia ser autuado por ameaçar a vida do pedestre que em via pública, conforme o Artigo 170 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Já o advogado especialista em direito do trânsito, Ewerton Morais, disse que o condutor do veículo poderia ainda ser enquadrado no Artigo 235 do CTB. "Esse artigo destaca que conduzir pessoa, carga ou animais na parte externa do veículo pode configurar infração de trânsito grave, com penalidade de multa, e cinco pontos na carteira. A multa nesse caso é de aproximadamente R$ 195 reais", afirmou o advogado.

Prisão

O advogado explica que, de acordo com o Artigo 132 do Código Penal, o motorista pode ser detido pela conduta de expor alguém ao risco iminente e pode ser detido pelo prazo de 3 meses a um ano.

Já o especialista em trânsito destaca que o caminhoneiro poderia ter sido preso por outras questões. "Como ele arrastou a vítima por quilômetros, o motorista pode entrar na seara criminal e a autoridade policial pode entender que houve um crime de tentativa de homicídio, a partir do momento em que ele estava ciente do risco que ele poderia causar àquela pessoa se ela viesse a cair do caminhão", afirmou Alex.

Infrações do bolsonarista renderiam multa

Já no caso do bolsonarista, o especialista em trânsito explica que, acordo com o Artigo 253 do CTB, o homem poderia ser punido por utilizar veículos para deliberadamente interromper ou restringir a circulação sem autorização da autoridade responsável pela via. "Esse é um caso para aplicação de multa gravíssima, de R$ 5 mil. Os organizadores dessas interdições podem ser multados em até R$ 17 mil. Se em 12 meses houver reincidência, os participantes recebem multa de mais de R$ 11 mil e os organizadores R$ 30 mil", afirmou Alex Monteiro.

Porém, tanto o especialista quanto o advogado explicam que, ao contrário do caminhoneiro, o bolsonarista não seria penalizado criminalmente, por se pendurar no caminhão.

Manifestações em Pernambuco

Pernambuco não registra mais interdições feitas por bolsonaristas em rodovias federais desde a última quinta-feira (3). No Estado, foram três dias de manifestações. Os bloqueios se concentraram nas BRs 101, 104, 232 e 423 e, no interior, em cidades como Bezerros, Caruaru, Garanhuns e Taquaritinga do Norte.

Os bloqueios ilegais foram realizados em Pernambuco por bolsonaristas contrários ao resultado do segundo turno das eleições, que elegeu Lula (PT) como presidente. Bolsonaro (PL), que estava na disputa pela reeleição, se torna assim o primeiro mandatário a tentar e não conseguir um segundo mandato.

G1 Caruaru