Um homem identificado como Emerson Rulino Alexandre, de 50 anos, invadiu um prédio e atirou na ex-mulher, na filha dela e no namorado da jovem, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, na manhã da sexta-feira (8). O rapaz morreu no hospital, as mulheres foram internadas e Emerson se matou.

Confira, abaixo, o que se sabe e o que ainda falta saber sobre o caso:

O que aconteceu com as vítimas? 

O namorado da jovem, identificado como Breno Felipe de Sales Machado, de 28 anos, foi levado para o Hospital da Restauração, no bairro do Derby, na região central, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Não há informações sobre o estado de saúde da ex-mulher de Emerson, a empresária Lizia Regina de Albuquerque Melo, de 48 anos, e da filha dela, Mayara, de 21 anos, que foram baleadas. Elas seguiram para o Hospital Unimed, que não repassou o boletim médico.

Testemunhas disseram que Lizia Regina foi baleada na cabeça. Mayara teria sido atingida de raspão no pescoço, mas estaria bem.

Como homem entrou no prédio?

Imagens de câmeras de segurança mostram o momento em que Emerson aproveita que o portão do prédio foi aberto para a saída de um carro e entra pela rampa da garagem (veja vídeo acima).

Um segundo vídeo mostra o homem no elevador. Ele passa alguns segundos dentro do equipamento e, em seguida, sai em direção ao hall do quarto andar, onde ocorreu o crime.

Alguém tentou impedir crime?

O zelador Roberto dos Santos, que trabalha no prédio, disse que o agressor chegou com a arma à mostra, na cintura, e intimidou os funcionários. Todos ficaram com medo. O zelador chegou a afirmar que se tentasse chegar perto dele seria baleado na porta do elevador.

A arma que Emerson Rulino Alexandre carregava na cintura estaria por cima da roupa, à mostra. Ele não fez menção direta ao revólver para os funcionários do prédio, mas, para os trabalhadores, a intimidação foi clara.

LEIA TAMBÉM:

Vídeos mostram homem invadindo prédio

'Se tentasse ir mais próximo dele, com certeza me matava', diz zelador

Há alguma testemunha ocular?

Um funcionário do prédio disse que, na noite anterior ao crime, ocorria uma reunião entre amigos, no apartamento onde estavam as vítimas.

Além das três pessoas baleadas, também havia outros dois homens no imóvel. Um saiu antes do crime e a segunda, um homem, presenciou o ataque, mas não se feriu.

O que motivou a ação criminosa?

Parentes das vítimas, que pediram para não ser identificados, relataram que o autor do crime estava em processo de separação e não aceitava. Por isso, ele bebeu a noite inteira e, na manhã da sexta, invadiu o prédio e atirou contra a mulher, a filha dela e o namorado da jovem.

Funcionários do prédio disseram que ele passou a noite bebendo e rondando o edifício, mas, por determinação das moradoras, por ser agressivo, não era autorizado a subir. Mesmo assim, ele entrou no condomínio.

Do G1 Caruaru