Como forma de preservar a saúde pública em época de pandemia, onde muitos têm sofrido com síndromes respiratórias durante o tratamento e no pós-Covid-19, a prefeitura de Belo Jardim determina a proibição dos festejos juninos através do acendimento de fogueiras e fogos de artifício sonoros. Apenas fogos de artifício luminosos estão permitidos.


De acordo com o decreto, a medida fica em vigor enquanto perdurar o estado de calamidade pública. Sabe-se que a fumaça provocada pelas fogueiras são extremamente prejudiciais e podem aumentar os índices de doenças respiratórias e a procura pelo serviço médico, sobrecarregando a rede hospitalar. Além disso, as famosas bombas de São João podem causar queimaduras, também agravando a necessidade do uso das emergências hospitalares.


Vale salientar que o barulho causado pelos rojões agride os animais e as crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA), que possuem hipersensibilidade sensorial e sofrem com os fogos de artifício. O prefeito de Belo Jardim explica ainda que as aglomerações causadas pela comemoração do São João podem fazer com que o índice de infectados pela Covid-19 aumente.


“Sou nordestino, eu amo o forró, eu verdadeiramente amo o São João. Entretanto, eu amo ainda mais o meu povo e preciso cuidar da coletividade. Quem está com a falta de ar típica do Covid entende a importância de pensarmos neles, além, claro, de evitarmos que nosso sistema de saúde seja mais prejudicado por causa disso”, explicou Estrela.